12 DICAS IMPERDÍVEIS PARA SUA VIAGEM AO MONTE RORAIMA

 

Confira essas dicas super importantes para não passar aperto na sua expedição.

1. Não se esqueça de levar seu documento de identificação válido.

– Carteira de Identidade: é aceito e você (ainda) pode entrar tranquilamente com ele na Venezuela. Veja como está a situação antes da viagem

– Passaporte: não é obrigatório. É bom levar para carimbar, porém o trâmite na alfândega pode demorar um pouco mais (quando eu fui, as filas de quem estava com RG era diferente da do Passaporte. Hoje em dia já vi relatos de  que a fila é a mesma).

– Visto não é obrigatório.

– Carteira de motorista não é permitida como documento de identificação. Sugiro que você leve RG e passaporte (se possível), como eu fiz. ;]

 

WhatsApp Image 2017-03-07 at 10.38.57
Alfândega Brasil x Venezuela. Foto de Jorge Queiroz

2. Providencie o Certificado Internacional de Vacinação constando a vacina contra a Febre Amarela. Bem rápido para tirar 😀

Siga os passos abaixo:

1º: Tome a  vacina de febre amarela

2º: Realize o pré-cadastro no SISPAFRA

3º Vá ao estabelecimento que emitirá o Certificado e apresente a documentação (há um guichê no Aeroporto JK para os brasilienses. Veja a lista de estabelecimentos em: http://www.anvisa.gov.br/hotsite/viajante/centros.pdf

WhatsApp Image 2017-03-07 at 10.57.54

Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia anexado ao passaporte. Foto de @jutrekker

3. Não traga nada do Monte!

Há uma fiscalização no Parque para verificar se você carrega consigo cristais do topo do Monte Roraima. Caso seja achada alguma pedra,  a multa é R$ 250,00 (preço atual). Imagina se todos os milhares de turistas trouxessem as riquezas do Monte? Não haveria mais o Vale dos Cristais, um dos atrativos mais bonitos no topo.

4. NÃO joque lixo no Monte!!!

Leve várias sacolas de lixo e traga sua sujeira de volta. Vi muitos papeis higiênicos e plásticos de comida jogados nos “hoteis” (lugares de pernoite).

5. Leve reais suficientes para trocar por bolívares (peso venezuelano).

Existem muitos produtos na fronteira que enchem os olhos de nós turistas, de comida a artesanato. Na volta do trekking, algumas agências levam os turistas a uma cidadezinha chamada San Francisco. Lá existem os artesanatos mais lindos que já vi, além de um almoço maravilhoso! Na empolgação, falei que iria pagar almoço para todo mundo (ficamos 8 dias sem comer comida de verdade, a base de miojo rs) e não me arrependi! Foram 6 pessoas comendo um prato feito com frango assado e 2 cocas 2 litros por 50 reais :DDD

6. Se puder, fique no mínimo 3 dias no topo do Monte.

Os atrativos são muitos e é bom aproveitar o máximo possível (é um trabalhão chegar lá; vale a pena enforcar a agenda e reservar uns dias a mais). Me agradeça depois! rs

7. Coma AREPAS!

É uma comida típica da Venezuela a base de milho. Comemos no café da manhã. Gostosa e barata.

8. Verifique o vestuário!

Dependendo da época que você vai, a temperatura do Monte pode ser baixa. Vá com roupas adequadas!
Evite subir o Monte com anorak e roupas muito pesadas. Vá com blusas frescas (optei por blusas de manga longa fresquinhas com proteção UV). Caso comece a chover e a temperatura estiver abaixando, seque-se rapidamente (caminhar faz suar demais) e coloque logo um anorak para que sua temperatura corporal se mantenha. Observação: anorak não diminui a temperatura por si só. Tal roupa técnica corta o vento e te mantém seco.
Outro item importante é a calça impermeável. Eu não vi necessidade, mas algumas pessoas acham primordial não ficar molhado, pois a temperatura corporal diminui bastante. Dê uma atenção especial a esse detalhe.
A dica destaque é usar uma bota de neoprene por dentro da bota de caminhada, pois lá quando chove, não cessa tão cedo. Acostume-se em ficar sempre molhado. Dica fabulosa da Keli Cristina. Ela comprou uma da Marca Tribord, que vende na Decatlon por 49 reais.

Meia impermeável também vale a pena! As marcas recomendadas são  Sealskinz (testada e aprovada pela galera) e  Rocky  (nível mais alto, em goretex).

Confira um pouco sobre equipamentos recomendados AQUI.

9. Leve mudas de roupa para deixar na pousada/hotel.

Ao final do trekking você precisará de roupas limpas. Ou faça igual a mim e compre roupa por lá mesmo haha Essa é a minha única forma de atualizar o look. 😛

10. Contrate uma agência se possível.

Fui de forma independente, levando toda a minha bagagem para 8 dias de trilha e contratei apenas o guia (obrigatório). Resultado: consegui fazer todo o trekking sem dificuldade pois meu condicionamento estava ótimo, porém não recomendo pois é uma trilha merecedora de toda nossa atenção, devido às paisagens exuberantes. Pretendo voltar lá ainda esse ano (2017) para comemorar meu aniversário em Novembro (dia 14). Bora? rs Dessa vez, contudo, será com tudo o que temos direito: carregadores de bagagem e alimentação, montagem de barraca, guia, preparo de comida. O esquema é só curtir, tirar muitas fotos  e guardar lembranças. :]

Recomendo a agência Nature Adventure. Ela me deu todo o apoio quando fechei a viagem e fui de forma independente. A última galera que foi saindo de Brasília também fechou com eles. Recomendadíssima! Fale que você viu a indicação aqui e ganhe um desconto de 10% em qualquer pacote! ;]

16298562_1037477536396652_8586348221104253157_n
Grupo do Trekking Brasília na Expedição Monte Roraima 2017.

11. Cuidado ao transportar alimentos e bebidas no avião.

Opte por despachar tudo para não perder as lembrancinhas no aeroporto. Pimenta de formiga (para quem gosta) já foi barrada em bagagem de mão.

12. Leve algum equipamento ou dinheiro a mais (se sua condição permitir) para os carregadores do Monte Roraima.

A condição deles é bem precária e muitos passam necessidade. Roupas de frio, botas e equipamentos de acampamento são os mais relevantes. Dinheiro a mais é sempre bem vindo. Quando contratei meu guia, vi que ele estava a base de farinha e água para se alimentar por 8 dias lá no Monte. UM ABSURDO! A situação é desumana demais naquela região =/ Muitas vezes o convidamos para comer conosco (levamos apenas nossa alimentação) e ao final demos uma boa gorjeta a ele. Se fosse hoje, com a consciência que eu tenho, teria dado mais. Quem for ao Roraima me avise para eu que faça isso (quero muito dar um bastão a ele. Ótimo guia e pessoa maravilhosa, nosso querido Elias!)

Alguma sugestão de dicas além dessas? Mande nos comentários! 🙂 

E para que você vai ao Monte Roraima, segue abaixo algumas fotos da galera que foi de Brasília em Janeiro de 2017 para você se inspirar <3

WhatsApp Image 2017-03-06 at 18.55.45
@kelicrixtina apreciando uma vista espetacular. Foto de @mari_marra.
WhatsApp Image 2017-03-06 at 18.45.13
Topo do Monte Roraima. Foto de @eduardoselistre

 

Espero que tenha gostado das dicas  =)

Não deixe de curtir a nossa página no Facebook e nos seguir no Instagram.

Com emoção, 
Ju Trekker!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *